O livro venceu o medo!

JOÃO, por Santiago Régis

 

 

“Santiago Régis, 24 anos
Para algumas pessoas 24 anos é pouco tempo,
mas neste período deu tempo de:
nascer em Imperatriz, Maranhão, Brasil
passar a infância numa fazenda em Davinópolis
sonhar em ser astronauta
ser atropelado por uma bicicleta
viajar de balsa e conhecer o Pará
estudar num Colégio de Freiras
e levar palmatória
mudar de cidade, agora Goiânia
estudar num Colégio da Polícia Militar: épocas de repressão
entrar na Faculdade de História
e abandonar o curso 2 semestres depois
ser católico, protestante, espírita, budista
se interessar por umbanda e xintoísmo
ser ateu
mas por pouco tempo
porque num assalto acreditar em Deus
(ou deuses)
(ou alguma coisa)
é primordial pra continuar vivo
beber muito café e colecionar xícaras
comprar livros e vinis em sebos
sou ilustrador
sou astronauta, quando viajo no espaço sideral da minha própria aquarela.

Santiago Régis é maranhense de Davinópolis. Já morou em Goiânia e hoje atua em Belo Horizonte. É bacharel em Artes Plásticas pela Universidade Federal de Goiás e há muito trabalha com o universo infantil e literário. A relação palavra-imagem sempre despertou seu interesse e assim a ilustração acabou virando sua principal válvula de produção. Suas ilustrações já tomaram paredes de Galerias, páginas de livros infantis, estampas e animações.”

http://www.santiagoregis.com/

Santiago Régis

 

Santiago Régis

Santiago Régis é o ilustrador de JOÃO TINHA MEDO, livro com texto da escritora Sônia Menezes e editado pela RHJ em setembro deste ano. JOÃO é a sua segunda parceria com a Sônia; DE SANTOS, REZAS E LARANJAS, foi seu primeiro livro ilustrado. Assim como o João, Santiago também tinha muito medo. Tinha medo de ninguém o buscar na escola, medo de insetos, de escuro, de ficar sozinho. Foi crescendo e aprendendo que o medo não é ruim. Percebeu que é bom sentir aquele friozinho na barriga e passar por uma aventura.

“João tinha medo de tudo. De tudo João tinha medo.”

Quando o Santiago me disse que enviaria o JOÃO, eu fiquei muito feliz, mas não imaginava que pudesse ficar tão encantado! Quando abri o envelope e me deparei com as ilustrações, o projeto gráfico – Régis também assina o projeto -, o tema da história… entendi que o Passarinho precisava se encontrar com o João o quanto antes! A beleza do trabalho de Santiago Régis venceu o medo.

A história começa com uma lâmpada, ela representa o começo e o recomeço. No começo ela está apagada, deixando tudo escuro, e depois, já no meio do livro, ela acende. O que faz a sua lâmpada ficar acesa?

Noite, chuva, raios, trovões, tempestades, quarto escuro, ratos, baratas, escorpiões, fantasmas, assombrações, casa vazia, corredores, paredes brancas, cozinha, banheiro… assustava-se à toa… não ria, mal comia, João tinha medo de tudo, de tudo João tinha medo. Tudo em preto e branco, objetos viravam seres animados assustadores, sombras do mal, tudo tenebroso… o quarto era um pesadelo.

Porém…

Algumas coisas acalmavam, sossegavam, tranquilizavam… eis que a lâmpada se acende!

Uma história lida sobre o travesseiro, avó e avô dando atenção… difícil aqui não se lembrar dos amigos e vovós corujas Heloisa Leandro e Júlio César Cardoso de Barros… cafuné no cabelo, bicho de estimação, família em volta da mesa, afago no coração. Você já disse eu te amo hoje para a pessoa amada? A pessoa aqui pode ser o namorado, o marido, a filha, o neto, enfim, ame; lembre-se de que a lâmpada precisa ficar acesa sempre.

João tinha medo, não tem mais. Um bom livro infantojuvenil leva os meus medos embora e esse é um deles. Texto e ilustrações orquestrados. Sônia Menezes e Santiago Régis acendem. A gente ascende!

“Afago no coração.”

“Sônia Menezes é professora, historiadora, autora de livros didáticos e mestre em Letras e em Linguística pela UFG. Nasceu em uma fazenda chamada Engenhoca no município de Mossâmedes (GO). Nos tempos de criança, ouvia muitas histórias e brincava o tanto que podia; ainda hoje, sente saudades daqueles dias na casa de sua avó Chica! Cresceu gostando de ouvir histórias, e agora gosta de contá-las. JOÃO TINHA MEDO é seu segundo livro infantil; antes dele escreveu DE SANTOS, REZAS E LARANJAS.”

Fico muito feliz quando encontro um livro para crianças que foge do lugar comum. A história de um menino com medo de tudo é muito louvável, pois os sentimentos não são sexistas, todos nós temos medo de algo! Impossível não fazer uma ponte com o BENJAMIN, de Biagio D’Angelo e Thais Beltrame, outro belíssimo livro sobre as fragilidades de um menino.

Como você percebeu, o ninho está de cara nova! Santiago Régis, com a sua lâmpada, veio ao ninho com João e aproveitou para deixar o nosso cantinho mais luminoso. Espero que tenha gostado!

Amigos, obrigado pela companhia e até sexta!

Dia 20, Passarinho estará na ARCA DE NOÉ (Companhia das Letrinhas), de Vinicius de Moraes e Nelson Cruz.

Agradecimentos:

A todos que me emocionaram com compartilhamentos no facebook e com comentários belíssimos sobre o texto “A Prosopopeia de Alex & Cris!”, principalmente estes dadivosos, que tiveram a gentileza de postar no PASSARINHO as suas impressões:

Alex GomesSantiago RégisRomont WillyOlga SâmiaHenriette Effenberger e Pablo Morenno.

Um abraço pra lá de especial para o San!

Renato Coelho

Apaixonado pela Literatura Infantojuvenil.

 

Anúncios

5 comentários sobre “O livro venceu o medo!

  1. Tão difícil lidar com nossos medos! É um assunto complicado porém fascinante! Nossos medos nos revelam mais do que nossos atos mais destemidos de bravura!

    Esse layout ficou lindo! Delicado, poético, que canta baixinho palavras tão belas. Parabéns para todos os envolvidos na criação e concepção deste ninho!

    Beijo!

  2. Que texto lindo Renato!
    fico encantado a cada nova postagem. Esta de hoje, claro, tem meu carinho especial.
    Obrigado pelo carinho meu amigo.
    Foi um prazer participar da construção do novo Ninho.

  3. Volto ao ninho, encantada com o novo visual, parabéns, Santiago Régis!
    Quanto ao livro da semana, até voltei à minha infância… nasci em uma fazenda e dormia com meus irmãos em um quarto enorme, com aqueles janelões azuis com vidros na parte de cima. Meu Deus, quanto medo eu sentia, sozinha na minha cama! Os galhos das árvores batiam no vidro fazendo um barulho arrepiante, enquanto a luz da lua refletia imagens horríveis nas paredes do quarto…
    As crianças, naquela época, tinham que sentir medo sozinhas mesmo, não tinham a quem recorrer porque os pais sempre foram inacessíveis a essas fragilidades infantis. Como sobrevivemos a tudo isso!
    Mas acho que Monteiro Lobato me salvou! Suas histórias arrepiantes também, que contavam sobre o saci que dava nós nos rabos dos cavalos à noite, me ajudaram a enfrentar o mistério da noite, sozinha!
    Adorei, Renato!

  4. Muito bom ler essas palavras belas sobre um texto tão familiar para mim. Obra recente da minha querida mãe com o maravilhoso Santiago. Leitura com gostinho de amor, afago, infância. Puro sentimento!
    Adorei todo o texto!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s